AWordPressSite

Image default

Contornando a UNRWA para ajudar Gaza

Em 28 de junho, o The Jewish News Service confirmou que os EUA pediram a Israel para trabalhar com a UNRWA para reabilitar Gaza.

No entanto, o aparente absurdo de uma sugestão de que Israel deveria trabalhar com a UNRWA para reabilitar Gaza desafia os fatos locais; A UNRWA em Gaza foi totalmente dominada por uma organização terrorista – o Hamas.

Além disso, 82% da população de Gaza – 1,7 milhão de pessoas – moram atualmente em onze campos “temporários” da UNRWA, estabelecidos para refugiados da guerra de 1948.

Não há dúvida para ninguém de que os ataques que Israel sofreu de Gaza durante o mês de maio foram orquestrados pelo Hamas, uma afiliada da Irmandade Muçulmana, classificada pelos EUA, Canadá, Reino Unido, UE, Israel e Austrália como uma organização terrorista.

A conexão do Hamas com a UNRWA é óbvia e discreta.

Nos últimos 28 anos, Associação de Professores e União dos Trabalhadores da UNRWA foram controladas pelo Hamas.

O Parlamento Europeu, expressando sua preocupação com a crescente influência do Hamas, financiou um estudo sobre as eleições sindicais de 2009 da UNRWA. Nessas eleições, 90% dos votos para a Associação de Professores e União dos Trabalhadores da UNRWA foram para uma lista de candidatos do Hamas, colocando firmemente sob as mãos do Hamas a economia e as escolas da UNRWA em Gaza desde então.

Mais recentemente, após a guerra de onze dias entre Gaza e Israel, em maio de 2021, diversos fundos fluíram para a UNRWA e para a economia de Gaza através de várias nações ao redor do mundo, que esperavam amenizar a crise humanitária enfrentada pelo povo de Gaza, focando sua atenção na situação das crianças sob o fogo cruzado e a sua educação.

Tragicamente, o único programa em que o Hamas e a UNRWA trabalharam juntos durante os meses da primavera de 2021, foi um enorme acampamento de verão para treinamento militar. Neste campo, o Hamas recrutou 10.000 crianças (a partir de 9 anos) de escolas da UNRWA, para ensiná-las a disparar armas e foguetes na próxima rodada de combate.

Divulgação completa: O Centro Bedein de Pesquisa Política do Próximo Oriente enviou uma equipe de TV para filmar o acampamento militar de verão do Hamas para estudantes da UNRWA, para assim produzir um filme em três idiomas destinado aos parlamentos dos três principais países doadores da UNRWA: Alemanha, Reino Unido e Suécia.

Por que haverá uma próxima rodada? O propósito abertamente declarado da educação da UNRWA – cujos livros escolares são publicados pela Organização para a Libertação da Palestina – permanece: “o direito ao retorno” pela força das armas às aldeias árabes que existiam antes de 1948.

Uma agência da ONU não precisa se comportar dessa maneira. O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados – ACNUR – ajudou com sucesso dezenas de milhões de refugiados em todo o mundo a reabilitar suas vidas. A UNRWA poderia ser convertida em uma agência normativa das Nações Unidas caso se concentrasse na construção de uma vida melhor para o povo de Gaza.

Como a UNRWA em Gaza foi cooptada por organizações terroristas, os palestinos sob os cuidados da UNRWA são condenados a uma vida de refugiados para sempre, criando uma quarta geração em frustração por não poderem retornar às aldeias que existiam antes de 1948.

Graças ao governo do Hamas e à influência da Organização para a Libertação da Palestina, as nações que desejam estender a mão ao povo de Gaza, devem contornar a política atual da UNRWA, que permite que grupos terroristas que dominam os habitantes de Gaza os  induzam a acreditar que eles podem construir suas vidas com base em um objetivo que nunca pode ser alcançado.

O que pode ser feito para garantir que os fundos das nações doadoras da UNRWA ajudem de fato o povo de Gaza?

Trouxemos nossa equipe de especialistas da UNRWA para levantar esta preocupação em seis ocasiões diferentes, com a participação da equipe do secretário-geral da ONU, António Guterres.

A resposta comunicada seis vezes pelo Secretário-Geral da ONU, Guterres: “Trabalhe com as nações doadoras da UNRWA – elas têm total responsabilidade .

Escrevendo como um profissional de assistência social, chegou a hora de as nações doadoras da UNRWA promoverem um sistema de assistência social profissional baseado na avaliação das necessidades, educação para a paz e reabilitação para o povo de Gaza, em vez de forçar os habitantes de Gaza a suportar mais uma geração condenada a ser  “refugiados para sempre”, que nada mais é do que uma receita para a indignidade, a frustração e a violência.

Como um primeiro passo na direção certa, o presidente dos EUA, Joe Biden, emitiu uma declaração política em 11 de junho de 2021, para determinar novas políticas dos EUA que condicionam a ajuda dos EUA à UNRWA em uma reforma e no fim do incitamento.

Nas palavras do Rabino Abraham Cooper, Reitor Associado do Simon Wiesenthal Center, “O fato de o Secretário de Estado Blinken ser obrigado a relatar aos Comitês do Congresso dos EUA – antes da liberação de fundos para a agência da ONU – que a UNRWA está ‘assumindo passos para garantir que o conteúdo de todos os materiais educacionais atualmente ensinados em escolas e acampamentos de verão administrados pela UNRWA seja consistente com os valores de direitos humanos, dignidade e tolerância e não induza a incitação. “Como já demonstrado na meticulosa e exaustiva pesquisa das políticas e currículos da UNRWA, pelo historiador Dr. Arnon Gross, e o defensor de longa data, David Bedein, a educação da UNWRA – longe de ser uma defensora da paz – não reconhece o Estado de Israel e exalta os terroristas palestinos que assassinam diversos israelenses. Tudo se resume a isso: as crianças são ensinadas a odiar, e a UNRWA, por décadas e até hoje é parte do problema, não parte da solução. Os EUA se comprometeram a forçá-los a mudar de rumo ”.

O Autor é diretor do Centro Bedein para Pesquisas Políticas do Próximo Oriente, e pode ser contatado através do email ctrforneareastpolicyresearch@gmail.com

The Jerusalem Report 26 de julho de 2021

Tradução: Fábio Schuchmann

Related posts

Por que os palestinos estão ganhando a guerra midiática: uma entrevista com David Bedein para a revista Reform Judaism

Center for Near East Policy Research

No Oriente Médio Refugiados

Fabio Schuchmann e Gabriela Izawa

Alegação oficial da Autoridade Palestina: Judeus mataram Cristo na Autoridade Palestina Livros didáticos de educação cristã usados nas escolas da UNRWA na Cisjordânia , Jerusalém e Gaza

Dr Arnon Groiss